CASTRAÇÃO


Mitos e verdades sobre a castração



A castração ainda é um assunto bastante polêmico para os proprietários de animais de estimação. Está associada à imagem de cães e gatos gordos e letárgicos, "cirurgia cruel", "mutilação do animal", etc.. É preciso desvendar o que há de falso e verdadeiro sobre a castração e entender bem quando ela é recomendada.

"A castração deixa o animal gordo"
Falso. A castração pode causar aumento do apetite, mas se a ingestão de alimento for controlada e o dono não ceder às vontades do animal, o peso poderá ser mantido. Observa-se que animais castrados quando jovens, antes de completar 1 ano de vida, apresentam menos sinais de aumento de apetite e menor tendência a se tornarem obesos. Aobesidade pós castração é causada, na maioria das vezes, pelo dono e não pela cirurgia.

"A castração deixa o animal bobo"

Falso. O animal ficará letárgico após a castração apenas se adquirir muito peso. Gordo, ele se cansará facilmente e não terá a mesma disposição. A letargia é consequência da obesidade e não da castração em si. Os animais na fase adulta vão, gradativamente, diminuindo a atividade. Muitos associam erroneamente esse fato à castração.



"A castração mutila o animal, é uma cirurgia cruel!"

Falso. A cirurgia de castração é simples e rápida e o pós-operatório bastante tranquilo, principalmente em animais jovens. É utilizada anestesia geral e o animal já estará ativo 24 horas após a cirurgia. Não há nenhuma consequência maléfica para o animal que continuará a ter vida normal.



"A castração evita câncer na fêmea"

Verdadeiro. As fêmeas castradas antes de 1 ano de idade, têm chance bastante reduzida de desenvolver câncer de mama na fase adulta, se comparado às fêmeas não castradas. A possibilidade de câncerde mama é praticamente zero quando a castração ocorre antes do primeiro cio. A retirada do útero anula a chance de problemas uterinos bastante comuns em cadelas após os 6 anos de idade, cujo tratamento é cirúrgico, com a remoção do órgão.



"O macho castrado não tem interesse pela fêmea"

Falso. Muitos machos castrados continuam a ter interesse por fêmeas, embora ele seja menor comparado a um animal não castrado. Se o macho é castrado e há uma fêmea no cio na casa, ele pode chegar a cruzar com ela normalmente, sem que haja fecundação.


"Castrando os machos eles deixam de fazer xixi pela casa"
Verdadeiro. Uma característica dos machos é demarcar o território com a urina. Se o macho, cão ou gato, for castrado antes de um ano de idade, ele não demarcará território na fase adulta. A castração é indicada também para animais adultos que demarcam território urinando pela casa. Nesse último caso, pode acontecer de animais continuarem a demarcar território mesmo após a castração, pois já adquiriram o hábito de urinar em todos os lugares.


"Deve-se castrar a fêmea após ela ter dado cria"
Falso. Ao contrário do que alguns pensam, a cadela não fica "frustrada" ou "triste" por não ter tido filhotes. Essa é uma característica humana que não se aplica aos animais. Se considerarmos a prevenção de câncer em glândulas mamárias, ela será 100% eficaz, segundo estudos, se feita antes do primeiro cio. O ideal é castrar o quanto antes.


Para que castrar os machos?
1. Evitar fugas. 
2. Evitar o constrangimento de cães "agarrando" em pernas ou braços de visitas.
3. Evitar demarcação do território (xixi fora do lugar).
4. Evitar agressividade motivada por excitação sexual constante.
5. Evitar tumores testiculares.
6. Controle populacional, evitando o aumento do número de animais de rua.
7. Evitar a perpetuação de doenças geneticamente transmissíveis como epilepsiadisplasia coxofemuralcatarata juvenil, etc.. (em animais que tiveram o diagnóstico dessas e outras doenças transmissíveis aos descendentes).

Se levarmos em conta quantas vezes um animal macho terá oportunidade de acasalar durante toda a sua vida reprodutiva, seria mais conveniente diminuir sua atração sexual pelas fêmeas através da castração. O animal "inteiro" excita-se constantemente a cada odor de fêmea no cio, sem que o acasalamento ocorra, ficando irritado e bastante agitado, motivando a fuga de muitos. O dono precisa vencer o preconceito, algo que é inerente aos humanos apenas, e pensar na castração como um benefício para seu animal.

Para que castrar as fêmeas?
1. Evitar acasalamentos indesejáveis, principalmente quando se tem um casal de animais de estimação.
2. Evitar câncer em glândulas mamárias na fase adulta.
3. Evitar piometra (grave infecção uterina) em fêmeas adultas.
4. Evitar episódios frequentes de "gravidez psicológica" e suas consequências como infecção das tetas.
5. Evitar cios.
6. Controle populacional, evitando o aumento do número de animais de rua. 
7. Evitar a perpetuação de doenças geneticamente transmissíveis como epilepsia, displasia coxofemural, catarata juvenil, etc.. (em animais que tiveram o diagnóstico dessas e outras doenças transmissíveis aos descendentes).

É errado o conceito de que a castração só deve ser feita em cadelas de rua. Se o proprietário não tem intenção de acasalar sua fêmea, seja ela de raça ou não, é desnecessário enfrentar cios a cada 6 meses, riscos de gravidez indesejável e, principalmente, de doenças como câncer de mama e piometra. A castração garante uma vida adulta bastante saudável para as fêmeas e bem mais tranquila para os donos.


Silvia C. Parisi
médica veterinária - (CRMV SP 5532)

Webanimal
Fonte: www.webanimal.com.br







A Cartilha do amigo



Cinthia Kriemle

A gente ouve a três por quatro a frase: O cão é o melhor amigo do homem. Mas... o que é um amigo?

Um amigo é alguém com quem se compartilha bons e maus momentos. Um amigo fica feliz com as nossas conquistas e chora com as nossas perdas. Está por perto sempre, mesmo que “sempre” signifique apenas as noites e os fins de semana.

Um bom amigo não repara se a gente é gordo ou magro, se usa ou não usa perfume, se a gente tem a pela branca, negra, amarela ou azul-turquesa! Não liga se a gente é manco, cego, deformado, queimado, enfim, se a gente é sadio ou tem deficiências.

Amigo, aquele amigo que todos nós queremos e precisamos ter, é um sujeito enjoado, às vezes! Acorda de mau-humor, sai esbarrando em tudo o que vê pela frente e se isola num canto, com cara de “me deixa em paz”. E se a gente insistir, naquela hora, ele fica nervoso! Claro que, nem por isso a gente chuta o amigo ou bate nele pra ele “aprender uma lição”! Afinal, amigo tem direito aos ter dias ruins!

Um bom amigo não trai. Vive fiel, morre fiel. Mesmo que tenha muitos outros amigos. É fiel a cada um. Do seu jeito. Com a sua história de vida única, pessoal.

Amigo — desses que a gente nunca esquece — tem umas fases meio complicadas. Come demais, bebe demais, faz bagunça na casa, dorme e acorda tarde, faz barulho nas horas erradas, tranca a cara para outros amigos nossos por puro ciúme!

Mas as fases passam...

Não é preciso machucar ou ignorar um amigo só porque ele erra de vez em quando. A gente também erra, e como erra, não é mesmo?

Punir, ferir, desprezar não são ações que a gente cometa com um amigo!

Tem amigo que é criança eternamente. Brinca com tudo, não perde o fôlego. Tem outros que reclamam por qualquer coisa, que não são muito simpáticos, que falam demais, que falam de menos, que são sociáveis, ou tímidos, ou desligados, ou observadores.

Um amigo bom de verdade é aquele que olha pra gente e enxerga tudo o que nós somos, tudo mesmo. E depois pensa assim: “Ai como eu te amo desse jeitinho mesmo!”. É cúmplice, é companheiro.

Mas o melhor mesmo de um amigo é a gente saber que ele vai está conosco até o fim, mesmo que a gente fique surdo, cego, sem coordenação motora. Amigo não enxerga velhice, ou melhor, se compadece dela!

Amigo protege. Compartilha. Compreende. E não abandona o outro. Até o último suspiro.

Amigo, como diz Milton, “é coisa pra se guardar do lado esquerdo do peito”.
Um cão, também.

Afinal, cão é o melhor amigo do homem. Sobre isso nós já nos entendemos lá na primeira linha, certo?

E se você já sabe como tratar um amigo, já saber como tratar um cão...

20 ações que podem ajudar.  Veja só:

  1. Olhe para o seu cão como ele olha para você: sem enxergar nenhum defeito.
  2. Dê carinho e deixe que ele lhe dê carinho.
  3. Nunca, nunca o maltrate!
  4. Mantenha-o limpo e aquecido.
  5. Alimente-o e dê-lhe o que beber.
  6. Dê-lhe um cantinho que seja só seu.
  7. Não o machuque física ou emocionalmente.
  8. Entenda os seus momentos de rebeldia.
  9. Saiba que a infância e a adolescência são iguais para humanos e cachorros — tenha paciência!
  10. Entenda que, às vezes, ele só quer chamar a sua atenção.
  11. Dê-lhe atenção.
  12. Brinque com ele, passeie com ele.
  13. Acalme-o.
  14. Perceba se ele ficar doente e cuide dele com médico e remédios.
  15. Ensine a ele que as suas ausências de casa (mesmo que sejam muitas e por muitas horas) serão compensadas por retornos cheios de saudade.
  16. Se ele fizer bagunça, ou sujar alguma coisa, não bata nele, mas ensine-o a fazer o certo.
  17. Entenda que um cão com deficiência é como uma pessoa deficiente — tem limitações.
  18. Compreenda que ele sente ciúme de você e perdoe os rosnados e latidos que ele vai dar para quem estiver dividindo com ele o seu carinho e atenção.
  19. Compreenda que o latido é a voz do cão — ele vai usar a sua “voz” para contar, pedir, reclamar, se alegrar ou ficar bravo.
  20. E, acima de tudo, o mais importante: não trate o seu cão como se fosse um brinquedo que você pode abandonar ou trocar por outro quando ele não estiver mais tão novo ou tão bonito.

Tem gente que não consegue ter um amigo porque acha que amigo é perda de tempo. São pessoas que não sabem doar, doar-se. Não querem se incomodar, não querem ter paciência, não querem trocar, não querem perder tempo com nada que não seja a sua própria visão do mundo.

Pois saiba que um cão consegue amar até mesmo uma pessoa assim. Sempre. Muito. Intensamente.

Porque cães sabem dar amor. E ponto final.



Cinthia Kriemler é carioca e vive em Brasília há mais de 40 anos.
É contista e cronista.
Adora gente e animais da mesma forma, porque acredita que tudo o que Deus criou tem um toque de magia. E que toda criação precisa ser compreendida e preservada pelo amor.











Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

GUSTÃO - O nosso amigão

/
Gustão está aqui para lhe ajudar a entender as necessidades de um cão. Ele pode sentar, deitar e rolar. Você pode manter Gustão entretido jogando bola ou dando-lhe um osso. Para fazê-lo sentar–se, dê um duplo clique com o mouse no chão perto dele. Um duplo clique novamente para fazê-lo deitar-se. Então segure o botão do mouse para baixo e ele vai rolar.