12 agosto, 2010

Animal não é brinquedo, sente fome, frio e medo!!!


Para muitas pessoas parece estranha a idéia de ter um animal de estimação que não tenha sido comprado, então eu gostaria aqui demonstrar que estranho é justamente não adotar os animais que estão esperando uma adoção.

Se entendermos que animais não são mercadorias, mas seres capazes de sentimento, que têm necessidades de serem amados e capacidade de amar, concordaremos que não há sentido em se deixar animais vagando à propria sorte.

Há uma cruel tradição humana de entender que animais são coisas, não têm alma, não sentem frio, dor, amor, fome e que são produtos e fonte de renda para algumas pessoas, em rinhas, em super produção para venda, em testes laboratoriais, circos, touradas, vaquejadas, tráfico de pele, e outras infinitas formas de abuso.
As pessoas desconhecem a imensa quantidade de animais que estão sofrendo abandono nas ruas, especialmente cães e gatos, correndo risco de vida, risco de serem atropelados, de morrerem de fome, ou sofrendo maus tratos por seus donos, assim como desconhecem a quantidade imensa de animais que aguardam adoção ou que aguardam a morte no corredor final dos Centro de Controle de Zoonoses-CCZ das prefeituras de suas cidades. Muitas pessoas inclusive chamam a 'carrocinha' até mesmo com boa inteção, mas desconhecendo que ali os animais na sua grande maioria encontrarão apenas doença e morte.

Pensemos, olhando nossos animais de estimação, como os estamos tratando. Quero chamar as pessoas à consciência para o bem que fazem ao adotar um animal, que está te esperando em um abrigo, ou nos CCZ’s de sua cidade.

Algumas atitudes podem ser tomadas em relação aos animais abandonados e vão fazer muita diferença na quantidade de sofrimento e descaso que estes sofrem até encontrarem um protetor e um lar definitivo. Também é importante saber que nem todos os animais que são recolhidos pelos protetores são adotados em virtude do preconceito existente em relação aos animais sem raça definida.

A primeira saída para o dilema de como ajudar os animais abandonados que sofrem nas ruas é não permitir que os seus animais ou de seus conhecidos procriem. O número de animais abandonados é grande demais, já não há lar para todos. Não aumente o problema, ajude a diminuí-lo. Os animais não têm qualquer necessidade de ter filhotes, como querem nos fazer crer. Não ficam mais calmos nem mais felizes por isso.

A segunda é visitar abrigos, ONGs, e procurar saber como trabalham os protetores, como vivem os animais que estão esperando adoção, e sentir como você poderia ajudar. Não precisa ser financeiramente, você pode doar-se de várias formas, mas a primeira atitude é sair de sua zona de conforto e visitar abrigos e perceber onde o seu potencial pode ser aproveitado.

Um terceiro fator é que se você não tem coragem de pegar o cachorrinho ou gatinho que passa por você todo dia na rua por não saber o que fazer com ele ou por não ter como pagar os primeiros tratamentos, busque os sites de adoção de animais, busque as ONGs que fazem esse trabalho por você, leve o animal até lá, avise que o animal está correndo perigo.

Quando voltar de lá, pense em levar um que já foi recolhido da rua. Vários estão recuperados dos traumas que passaram, estão com saúde plena, castrados e em condições de ser mais um integrante de seu lar. Estão lá  aguardando uma caminha quentinha, um carinho, passeios em família, aguardando ser o seu parceiro de caminhada para lhe ajudar a manter sua saúde e seu corpo em forma, estão aguardando a definitiva oportunidade de serem reconhecidos como merecem, com dignidde.  Seria uma troca justa.

Por fim, você pode contribuir e muito, divulgando essas idéias. Conversando com as pessoas, porque a maior parte delas são pessoas bem intencionadas, e apenas mal informadas sobre a questão animal. Esclareça as pessoas que elas não valerão mais por terem animais de raça, não ficarão mais bonitas, nem mais importantes. Pelo contrário, o valor das pessoas é independentemente de coisas exteriores. Sua virtude se caracteriza pelo que você carrega no peito, na mente. Adotar um animal abandonado, sem raça, sem beleza externa só mostra o valor e a beleza de quem adota.

Então, alie-se às seguintes idéias:
  • Amigo não se compra, se adota.
  • Animais não são mercadoria, não são produtos, são amigos fieis.
Os animais estão sob a guarda e proteção dos homens, assim dispôs a Lei Divina: que o homem os protegesse e amparasse.Não percamos de vista este dever para com nossos irmãos que habitam o nosso Planeta Terra e por esse motivo, apenas por esse motivo, tem direito a uma vida plena, assim como todos que neste Planeta respiram.
Angélica Bessa

6 comentários:

Anônimo disse...

Muito preciso e emocionante. Que orgullho de você minha irmã.

Janaina

eliane zanetti disse...

Angelica que sensibilidade linda, parabens vc traduziu em palavras tudo o que penso, vivo e sinto, um abração

Fabiana disse...

Parabéns, Angélica, por cada palavra descrita acima. Deus realmente sabe de todas as coisas; fazer com q vc cruzasse o caminho desses seres jamais teria sido à toa!
Bjs, Fabiana Coelho.

Guarda Roupas OnLine disse...

Esqueceu de mencionar os animais que são abatidos, geralmente de formas crueis e dolorosas, para seus cadáveres servirem de alimento à humanos.
Qual a diferença de uma vaca e de um cachorro? De um porco para um gato?
O tráfico de peles é muito menor que a quantidade de abates de animais com finalidades alimentícias. Normalmente as peles são somente os restos mortais dos animais abatidos para serem devorados pelos humanos... Os animais que vivem em circos, fazendas (à fim de ser fonte de renda para algumas pessoas), e afins, vivem muito melhor do que aqueles que são reproduzidos para virarem bifes. Isso sim é lamentável.

Augusto Abrigo disse...

Guarda Roupas, concordo plenamente com você, e para mim não exite absolutamente diferença entre um cachorro, vaca, porco ou galinha.

Já tive um pintinho que virou galinha e morreu de velha, andava atrás de mim como se fosse um cachorro. Em São Paulo, tenho uma amiga que tem um porco e ele é muito inteligente, não faz nada em casa, só na rua, ou então no jornal. Reconhece os amigos dela e sinceramente é um amor, atende pelo nome, é incrível.
Eu apenas não cito tudo isso que você falou pois não é o foco do projeto Augusto Abrigo.

Aqui tratamos de animais domésticos e resgatamos os que estão perdidos e são abusados pelo ser humano, até porque a coisa aqui já anda dificil. Mas temos um projeto para tirar os cavalos de carroceiros, mas isso vai ser para daqui alguns anos.

Sou vegan ha uns quase 6 anos pela causa animal, não pela saúde, confesso que as vezes sinto vontade de comer uma carne mas descobri aos poucos que é o tempero que nos agrada e não a carne, não dá para comer carne crua né?

Eu trato desse assunto no meu blog pessoal www.donaanja.blogspot.com

Quando puder passeie por lá. Ele está um pouco desatualizado tendo em vista que eu ando dedicando-me muito mais ao Augusto Abrigo.

Abraços,

Angélica Bessa

Magy Massoli disse...

Queridos amigos do augustos Abrigo, quero felicitar todos vocês por este trabalho, lindo, dedicado e tão maravilhoso.
quero divulgar o abrigo, quero conhecer melhor vosso trabalho. e colaborar de todas maneiras que eu puder, com doação de dinheiro na conta do abrigo para comprar comida, medicamentos e roupas de frio.
Amo os animais e não admito que ficamos com os braços cruzados vendo estas barbaridades medievais que ainda infelizmente vemos acontecer com estes seres tão indefensos.
Desejo a todos colaboradores do abrigo Augusto, umas felizes festas de fim de ano.
Beijos
Flavia Massoli

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

GUSTÃO - O nosso amigão

/
Gustão está aqui para lhe ajudar a entender as necessidades de um cão. Ele pode sentar, deitar e rolar. Você pode manter Gustão entretido jogando bola ou dando-lhe um osso. Para fazê-lo sentar–se, dê um duplo clique com o mouse no chão perto dele. Um duplo clique novamente para fazê-lo deitar-se. Então segure o botão do mouse para baixo e ele vai rolar.